Almoço de sábado no Mate – II

O segundo almoço da Cozinha Código Aberto aconteceu no dia 17 de fevereiro, um sábado. O cardápio da vez foi a Moqueca de Banana-da-terra/figo, um suculento preparo de origens nordestinas, com influências africanas, aqui remixado para a versão vegana.

Dia bonito e de cidade vazia. Optamos por montar a mesa no pátio do Vila Flores – também vazio.

A Moqueca foi o preparo mais trabalhoso dos três, já que antes do cozimento é preciso picar/cortar todos os ingredientes. As quantidades eram grandes, então levamos quase 1 hora só nessa primeira etapa. Abaixo as receitas e modos de preparo:

Moqueca:
– 1kg de cebola cortada em rodelas
– 1 kg de tomate cortado em rodelas
– 4kg de banana-figo/da-terra, cortada em postas (pesadas antes de descascar). Melhor que esteja quase madura, nunca “passada”
– 1 pimentão vermelho grande, cortado em tiras (quantidade pode ser aumentada)
– 1 pimentão verde grande, cortado em tiras (quantidade pode ser aumentada)
– 1,2L de leite de côco
– pimenta do reino/vermelha a gosto
– 4 colheres de sopa de azeite de dendê
– 4 dentes de alho picados
– sal
– coentro fresco (picar só na hora de colocar na panela)
– óleo vegetal/azeite pra refogar

Farofa:
– 4 cebolas picadas
– 4 dentes de alho picados
– gengibre fresco picado, aprox. mesma quantidade de alho ou mais
– 1kg de farinha de mandioca crua
– opcionais: sementes de girassol e abóbora
– óleo vegetal/azeite pra refogar

Arroz:
– 1kg de arroz branco
– sal
– óleo vegetal/azeite pra refogar

—-Farofa—-

Começar o preparo pela farofa – ela fica pronta rápido e não precisa ser servida quente. Refogar o alho, a cebola e o gengibre. Adicionar a farinha e ir mexendo de vez em quando pra que fique dourada. Temperar com sal.

—-Moqueca—-

Deixar todos ingredientes da moqueca cortados/picados antes de começar o cozimento (menos o coentro). As melhores panelas são as de barro e de ferro, mas nas comuns funciona bem também. É melhor que seja mais larga do que alta, o suficiente pra que cada camada de ingredientes ocupe aprox. 3 cm de altura (a de pimentão vai ocupar 1cm).


Refogar o alho. Fazer a primeira camada de cebola. Não mexer, apenas tampar por 1 minuto. Montar a camada de pimentão e logo em seguida a de banana, tentando deixar as camadas bem definidas. Adicionar aprox. meio copo de água. Não mexer! Adicionar a camada de tomate e tampar, deixar cozinhando por aprox. 10 minutos.
Os tempos de cozimento variam bastante conforme potência do fogão, espessura e materiais das panelas, então é importante atentar para o fundo – não pode ficar completamente seco.


Verificar o ponto da banana, tem que estar “crua” no meio e cozida por fora. Adicionar água e o sal (aprox. 2 colheres de sopa, mas pode variar conforme o ponto da banana eo gosto…), até alcançar a camada de banana. Se for usar pimenta vermelha em molho, adicionar nessa hora também.Se for usar a do reino em pó, adicionar junto do leite de côco. Deixar cozinhando com a tampa entreaberta por mais uns 10 minutos. Não mexer nunca, a moqueca cozinha na própria borbulha.
Adicionar o leite de côco, tampar e deixar cozinhar por 5 a 10 minutos. Abrir a tampa e adicionar o dendê, fazendo um movimento em espiral pra distribui-lo por toda panela. Agitar delicadamente a panela inteira pra que ele se espalhe sem precisar misturar os ingredientes. Se estiver com líquido até a camada de tomate, deixar cozinhando destampado por mais 2 minutos. Se o caldo estiver abaixo da camada da banana, cozinhar tampado.

Desligar o fogo, adicionar o coentro recém picado e deixar tampado por 1 minuto antes de servir.

—-Arroz—-

Despejar na panela o arroz e umas 4 colheres de sopa de azeite. Ir mexendo até o arroz começar a ficar branquinho (de início ele é mais translúcido, quando em contato com o azeite). Adicionar água quente (pode ser fria também, mas a quente acelera o cozimento). Em geral são 2 medidas de água para cada  medida de arroz. Misturar e deixar cozinhando semitampado. Quando ainda estiver empapado e na metade do ponto de cozimento, acertar o sal. Misturar bem. Se preciso, adicionar mais água. Seguir cozinhando com a tampa ligeiramente aberta e não mexer mais. Se preciso, usar uma colher pra enxergar se o fundo da panela está seco.

Cozinharam e documentaram: Leonardo Foletto e Sheila Uberti
Louça e limpeza pós almoço: Lucas Zawacki, Dea, Cléber Stein e Sheila
E todo mundo mais ajudou em alguma coisa da organização geral 🙂

17 thoughts on “Almoço de sábado no Mate – II

  1. Hello,

    TIRED OF WAITING FOREVER TO EARN A PROFIT ONLINE ?

    My name is Tamika Crumpton and I’m talking about a new way to generate quick traffic and sales in ANY niche with ZERO video/website creation, ZERO paid advertising/SEO.

    I’ve recently tried this product but quickly decide to write this review because I know this is exactly what you are looking for your matehackers.org

    No Previous Skills Or Experience Required. You can literally be a COMPLETE Newbie and Get RESULTS with just 5 minutes of actual “work”..

    SEE FULL REVIEW: http://bit.ly/36OJXNh

    Kind Regards,
    Tamika Crumpton

  2. I’ve often considered turning off the comments on my personal blog. The main reason I haven’t? No joke: my mom enjoys leaving encouraging comments, so I leave them on. But maybe you’ve decided to turn your blog comments off? You have every right to do so.
    There are blogs that do not have comments, and there is a place for that. Even readers are revolting against blog comments with a “don’t read the comments” trend due to blogs whose unmoderated comment sections are an ugly, vile disaster.

  3. If you already have a huge audience, if you are active on social media and only want to use your blog as home for original content but not conversation, if you feel you want to reduce the “noise” of all the opinions on your blog, or if you are writing for personal reasons and have no desire for feedback from outside readers, feel free to turn off your comments.
    There is nothing wrong with that. Not every blog is building an audience or trying to achieve monetary or marketing success.

  4. As always, ask yourself: what is the reason you are blogging? What will help you, and what will hinder you?
    Comments might be detrimental to you for the reasons I pointed out at the start. But if you want to build an audience, and you enjoy conversation and feedback, moderate and keep your blog comments.

  5. Good read. Thanks for the data. It helps us at North of 52. We only have several comments per post and were evaluating the impact on metrics. Doesn’t seem to be any. Our highest read posts have no or one comment.
    I’ve been wondering whether to remove and disable comments on my site for a long now. But I got solid reasons. Did a final research now, and your article together with the resources mentioned in it helped.

  6. One of the biggest questions I see in my circles is around using blog comments to spam URLs. Not so much the automated bot drivel, but the human “lightly-referencing the post but aiming for a link” kind of thing. In experimenting with removing the “URL” field, we cut down on that too; but I do feel we’re missing some of the conversation that came from people interested, but motivated to comment by the link attribution.
    Thanks for this post. I am currently starting up a blog for our company and I found it to be very helpful! I think that the advice to evaluate and do what is best for your individual audience was very wise and helped me come to a decision. Thanks for the unbiased content!

  7. is known as the “Cradle of Alpine Skiing” after native Hannes Schneider developed the Arlberg technique in the 1920s. His method of teaching took beginners from snowplough, through stem turns, to parallel, though the advent of carving skis, which offer greater flexibility, has now changed the emphasis for many ski schools.
    https://www.yeah77.com

  8. When the two-way chair crests the sharp ridge between Solaise and Le Fornet and then plunges down the other side, your stomach tends to end up in your chest. Somehow the sense of exposure is much worse going downhill. Plus, often one side is in the lee of the wind — popping over the top gives you a face-full of spindrift-laden alpine air.
    https://www.woorisoit.com

Deixe uma resposta para Isidro Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *