Diálogos Abertos #1: O Caso facebook

Texto replicado de: http://baixacultura.org/dialogos-abertos-1-o-caso-facebook-por-que-devemos-nos-preocupar-com-isso/

Junto com o Hackerspace Matehackers e a Casa da Cultura Digital Porto Alegre, começamos na última quinta-feira, 26 de abril,  uma série de debates sobre temas ligados à cultura digital, tecnopolítica, direitos digitais, cultura livre, ética hacker e outros do nosso cotidiano digital. Nosso intuito foi, e continuará sendo com os próximos, dissecar esses temas num momento em que a internet que conhecemos está acabando, e que novas “internets” estão sendo construídas, num campo em ferrenha disputa que acontece hoje.

Para começar os Diálogos Abertos, não poderíamos deixar de falar do recente caso envolvendo o Facebook, que supostamente vazou (compartilhou, melhor dizendo) dados de cerca de 87 milhões de pessoas para a empresa de marketing político Cambridge Analytica por meio de testes de personalidade. A situação levou o criador da rede social, Mark Zuckerberg, a defender sua empresa no Congresso dos Estados Unidos e despertou um sonoro “eu já sabia” nos meios do ciberativismo de proteção de dados e antivigilante, além de queda do valor das ações da empresa na Bolsa de Valores e alterações na política de proteção de dados da rede social, que vão afetar os mais de 1 bilhão de pessoas com perfis no Facebook.

A conversa realizada no miolo do Vila Flores, condomínio cultural criativo que abriga o Matehackers, girou em torno desse e outros temas correlatos, e teve a condução de Janaína Spode, integrante da CCD POA, produtora cultural e ciberativista nas lutas pelos avanços políticos para reforçar os Direitos Humanos no mundo digital;  Fabricio Solagna, doutorando em sociologia pela UFRGS com pesquisa focada em governança da Internet e Marco Civil na Internet e que já realizou projetos de participação digital no governo do RS e na presidência da República; e Leonardo Feltrin Foletto, doutor em comunicação pela UFRGS, integrante do Matehackers, da CCD POA e editor desta página.

Diálogos Abertos marcou também o lançamento da Newsletter quinzenal CCD POA + BaixaCultura (inscrição e todas as infos aqui), e da campanha de financiamento contínuo do BaixaCultura no Apoia.se. Teve a presença de cerca de 20 pessoas e outras tantas online, na transmissão que fizemos no YouTube e que está disponível aqui abaixo. As fotos são de Sheila Uberti. A 2º edição será realizada em maio.

Projeto – Arduino Due para processamento de áudio

No dia 08/04/2018 eu apresentei como parte do Arduino Day no IFRS em Canoas uma palestra chamada “Processamento de Áudio com Arduino Due” tratando sobre um projeto interessante que está sendo desenvolvido por alguns membros do Matehackers.

O projeto foi construído com a ajuda do mestre Joel Grigolo, para ser um pequeno protótipo de como usar um Arduino Due para processamento de áudio digital de uma maneira bem simples e didática. Traduzindo isso em um linguagem mais prática, nós plugamos uma fonte de som no Arduino (no caso uma guitarra) e manipulamos de maneira digital esse som para adicionar efeitos como distorção, delay, chorus, etc…

Os slides da palestra e mais detalhes podem ser encontrados aqui: https://lfzawacki.github.io/arduino-due-dsp-slides/

Aqui temos um demo do projeto em ação rodando um algoritmo de delay de cauda longa com feedback:

Hack Fest – 24/03/18

No dia 24/03/18 tivemos no Matehackers o Hack Fest. Um pequeno evento para reunir interessados em segurança da informação para batermos um papo, fazer um networking e compartilhar aquele conhecimento. O evento foi originalmente organizado pela Rob, mas por questões pessoais ela não pode comparecer no dia. Ao invés de cancelar resolvemos reduzir um pouco o escopo e receber o pessoal no hackerspace. Mesmo com o clima chuvoso, tivemos um dia agitado e muito divertido no Matehackers.

Além das conversas sobre privacidade, criptografia e sobre como tudo é muito inseguro nós trabalhamos em desafios Capture the Flag do Shellter Labs com moderado sucesso. Para próximos encontros fica a sugestão de trabalhar em mais problemas do Shellter Labs, hacker.org , try2hack e Over The Wire .

Algumas notas das conversas foram compiladas pela Sheila aqui .

Também tivemos o Israel Comazzetto dos Reis que participou à distância fazendo um scan dos sites do Matehackers por vulnerabilidades com as ferramentas Nikto, nmap e Openvas . Ficam aqui os agradecimentos desse webmaster que pode fazer um pouco mais de harden dos seus servers.

Nos vemos na próxima galera!

Almoço de sábado no Mate – II

O segundo almoço da Cozinha Código Aberto aconteceu no dia 17 de fevereiro, um sábado. O cardápio da vez foi a Moqueca de Banana-da-terra/figo, um suculento preparo de origens nordestinas, com influências africanas, aqui remixado para a versão vegana.

Dia bonito e de cidade vazia. Optamos por montar a mesa no pátio do Vila Flores – também vazio.

A Moqueca foi o preparo mais trabalhoso dos três, já que antes do cozimento é preciso picar/cortar todos os ingredientes. As quantidades eram grandes, então levamos Continue lendo Almoço de sábado no Mate – II

Almoço de sábado no Mate – I edição

[vá na feira cedinho, no mesmo dia]

Continue lendo Almoço de sábado no Mate – I edição

I Encontro sobre criptomoedas, blockchain, bitcoin no Matehackers

Neste último sábado 18 de novembro fizemos um primeiro encontro – roda de conversa para falar sobre criptomoedas, bitcoin, blockchain e outros quetais. Tivemos a participação de alguns mineradores intensivos locais, bem como de pensador@s autônomos sobre as novas possibilidades transformadoras que as transações financeiras (des) intermediadas pelos nós das redes podem trazer.

Mais precisamente, participaram da roda:  Iuri Guilherme Martins, hacker e minerador, integrante do matehackers e ativista-anarquista da cultura livre faz muitos anos, contou um pouco de sua experiência minerando bitcoin (e mais recentemente outras criptomoedas) desde 2012 e de como  Continue lendo I Encontro sobre criptomoedas, blockchain, bitcoin no Matehackers

Novo “Quadro de Jobs”

Muitos entram em contato com o Matehackers procurando contratar ou oferecer freelances nas mais diversas áreas relacionadas a tecnologia. Embora este não seja em si o intuito de um Hackerspace é natural que pessoas qualificadas orbitem o espaço e boas oportunidades e trocas podem surgir destes contatos.

Para facilitar o trabalho dos membros do Mate que recebem os pedidos de anúncio e dos interessados em anunciar ou trabalhar um “Quadro de Jobs” foi criado. Esta iniciativa é uma experiência, vamos ver se é útil para alguém. Todo feedback é bem-vindo.

Aproveitem!

Por que eu não sou hacker, nem cientista de dados.

Semana passada eu estive no primeiro encontro de um grupo novo que está se formando aqui em Porto Alegre chamado RS Data Science. Apesar da chuva forte, várias pessoas compareceram ao evento e puderam mostrar e falar sobre os seus variados projetos e áreas de pesquisas.
Continue lendo Por que eu não sou hacker, nem cientista de dados.

Compilando a Godot no Ubuntu

A nova versão da Godot deverá vir com bastante coisas legais, como uma interface mais amigável, possibilidade de editar várias cenas ao mesmo tempo, etc. Mas já é possível experimentar isso utilizando a versão de desenvovimento. Nesse post vamos ver como compilar a engine no Ubuntu 14.04 64bits. Continue lendo Compilando a Godot no Ubuntu

Por que participar e apoiar um Hackerspace?

“no Matehackers temos um espaço com infraestrutura e ferramentas para construir os mais diversos projetos e pessoas ansiosas para aprender e compartilhar conhecimento.”

Pare de planejar: Começe antes de estar preparado

Todos temos objetivos que queremos atingir em nossas vidas. É normal assumir que a distância de onde estamos hoje e onde queremos chegar é a falta de conhecimento. É por isso que pagamos por cursos, perdemos horas na internet tentando aprender como fazer as coisas ou entramos em uma faculdade. Por esse percurso gastamos semanas, meses ou anos estudando e planejando como fazer as coisas, buscando o momento em que estaremos preparados para realizar o que queremos ou então o momento em que finalmente vamos nos tornar aquilo que almejamos. Mas será que existe uma melhor maneira de buscar nossos objetivos? Conhecimento é muito difícil de manter, e aprender algo novo muitas vezes não é o suficiente.

Continue lendo Por que participar e apoiar um Hackerspace?